Repost: Sobre Ipod Shuffle, Roubo e MGMT

8 10 2008

Quem é dono de um iPod Shuffle sabe. É um desafio fazer uma setlist perfeita que te acompanhe o dia inteiro. Essa brincadeira de enviar as músicas para o aparelho, deixando que ele as embaralhe e toque na ordem que quiser é divertida até um certo tempo. Depois, vira um transtorno ficar pulando faixas até chegar em algo que voce queira realmente ouvir.

Para evitar o pula-pula, passei uma tarde inteira selecionando, faixa a faixa, o que realmente iria pro tal iPod Shuffle. Revirei coletaneas, versoes demo, b-sides, singles. Um trabalho de horas, escolhendo realmente músicas que seriam imperdíveis ou, como queiram, impuláveis. E consegui! Uma setlist perfeita que aproveitava o amplo 1gb disponível!

Fui trabalhar ouvindo Bloc Party, depois MGMT, Feist, Calvin Harris, uma ou outra de Ladytron, tinha até uma da Britney Spears, confesso. No entando, como sabemos, o destino cruel e Murphy me add! Há a apenas duas quadras de casa, tres meliantes (eu adoro essa palavra) me abordaram. De cara, pediram o celular. Eu nao quis dar. Pediram meu iPod. Nao entreguei. Depois de muita resistencia e tentativa de fuga de minha parte, perdi tanto o meu smartphone quando minha setlist perfeita.

Chorando como Paris Hilton após perder o ultimo capitulo da temporada de Gossip Girl no TiVo, fui para casa lamentando a má sorte e planejando o que eu poderia vender para comprar um novo mp3. Pensei em comprar aqueles descartáveis, que quebram um dia depois da garantia vencer.

Já no dia, seguinte, indo ao trabalho, procurei me distrair cantando Muse, fora do tom, claro. A rotina parecia ainda mais dura sem musica, sem a tal setlist perfeita e o tal celular esperto. Eis que entao Jesus me add! A Policia Civil de Sao Paulo, rápida como o FBI, conseguiu, por meio de uma operacao meio PF, deter tres caras que portavam um celular suspeito. O celular esperto gravou a lista de contatos no chip, o que facilitou a busca pelo dono, que sou eu.

Enquanto o policial tentava se comunicar comigo, avisando que tinha achado um aparelho enorme, cheio de teclas, eu perguntava: mas cara, cade o iPod? cade o iPod?

A caminho da delegacia eu ja pensava em vender o orelhao portatil para financiar um novo Shuffle. Arrependido de tantas vezes que pulei músicas que poderia ter ouvido, de como eu maltratava a bateria do coitado e o tratava como um primo pobre do Nano.

Chegando la, uma supresa. Meus pertences estavam em cima da mesa do delegado. Entre eles, um pequeno pedaco de metal e plastico em cor prata: meu iPod Shuffle! mas, antes de tocá-lo e recuperá-lo, era preciso reconhecer os tais meliantes. E, para isso, eu precisava ter certeza.

Na cena seguinte, nada de glamour. Nao há vidro fume, nem uma grande sala de reconhecimento. Tampouco me ofereceram rosquinhas. Por meio de um olho magico quadrado em uma porta, vi cinco rapazes segurando plaquinhas com numeros de 1 a 5 escritos a mao. Logo de cara, já vi. Reconheci os numeros 2 e 4. O terceiro, o meliante que ficou mais distante naquele instante, eu nao reconheceria.

Fim de processo, de volta a minha casa, pluguei o brinquedo para ver e admirar minha setlist perfeita. Intacta. Last.fm rolando e observo os scrobblings: durante o periodo breve de sequestro do iPod, os ladroes ouviram MGMT por cerca de 47 execucoes. Viciaram nos descamisados psicodélicos. Só Time To Pretend tocou mais de 20 vezes.

Nunca achei que um dia seria assaltado por ladroes indie ou que curtissem MGMT. Desde entao, a setlist perfeita segue intacta, conservada na memoria de 1gb desse curioso brinquedinho da Apple.





De volta à Era dos Festivais

1 06 2008

Psychocandy, o álbum mais famoso da banda que “reviveu” na trilha sonora de “Lost In Translation” de Sofia Coppola.

Não, não estamos falando de MPB. Mas ainda assim, ao que parece 2008 promete. Segundo Lúcio Ribeiro, colunista da Folha de São Paulo e puxa saco oficial de qualquer bandinha desconhecida, os organizadores do Tim Festival e do Planeta Terra preparam algumas surpresas pro fim deste ano. Para o primeiro, estão confirmados The Gossip, Klaxons, MGMT – para alegria das putaseviados </tedouumdado> de plantão, SANTOGOLD (who?) e Gogol Bordello (whooooo?). Na lista daqueles que foram sondados, mas sem confirmação, configuram Radiohead, Amy Winehouse, Mika, Beirut e Leonard Cohen.

PEB: Só eu acredito que a Amy não vem? E que se vier eu não vou poder passar pó nesse dia?

Já para o segundo, que esse ano parece vir finalmente disposto a desbancar o Tim Festival, as atrações prometidas incluem Kaiser Chiefs, Jesus and Mary Chain uhuuuu e Bloc Party. Este último tem em vista 3 shows, sendo um em Sampa, outro no Rio e mais um em Curitiba.

Off topic: boss, esta colunista terá um prazer quase que sexual em vê-lo chorar que nem uma menininha assistindo à “Um Amor para Recordar” no show do Bloc Party. Viva o Lucio Ribeiro, Viva o Brasil! </mode zé simão off>

Portanto, preparem os bolsos. Os gringos vêm aí.

Câmbio desligo.